FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL (FCU) – O QUE É?





Definição Geral:



FLUIDO, do latim “fluidu” (genericamente): que corre com um líquido, fluente; cujas moléculas têm tão pouca adesão entre si, que facilmente mudam de posição, e que, portanto, cedem à menor pressão; qualquer uma das substâncias hipotéticas às quais outrora eram atribuídos o calor, a eletricidade, o magnetismo. (Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, Enc.Britânica do Brasil, vol. 2).





Definição (concisa) da Doutrina Espírita:



“MATÉRIA ELEMENTAR PRIMITIVA” (GE, Cap. XIV, nº 2). Nesse sentido, “elementar” quer dizer: fundamental, principal, básico, primordial, inicial.





Denominações várias Usadas na Codificação (com mesmo significado):



FLUIDO: ESSENCIAL, UNIVERSAL, CÓSMICO, PRIMITIVO, ELEMENTAR, PLASMA DIVINO, INTELIGENTE UNIVERSAL, CÓSMICO ETÉREO, MATÉRIA CÓSMICA ou simplesmente ÉTER.





Onde é Mencionado na Codificação:



FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL, ou simplesmente FLUIDO UNIVERSAL: denominação dada pela própria Codificação (LE, Q. 27, 65, 257, 282, 427, 495; GE, Cap. XIV, nºs 2, 3, 31, Cap. VI, nºs 11, 17, Cap. XII, nº 17; LM, nºs 58, 74, 75, 79, 282; ESE, Cap. XXVII, nº 10; OP, Introdução ao Estudo da Fotografia e da Telegrafia do Pensamento, além da RE em diversos volumes).





Importância e utilidade Doutrinária dos Fluidos:



A Teoria dos Fluidos se constitui num dos mais importantes aspectos científicos da Doutrina, pois somente depois da perfeita compreensão da origem dos fluidos, sua composição e aplicação no mundo material é que é possível entender como se dão os fenômenos que antes eram tidos como milagrosos, enfeitiçados e sobrenaturais, tais como: transporte de objetos, levitação, voz e escrita direta, batidas, pancadas e ruídos (tiptologia), aparições de espíritos (=aparições tangíveis, vulgarmente chamadas de materialização) e de objetos, psicometria, transfiguração, bicorporeidade e bilocação, e, principlamente, de curas em geral e operações cirúrgicas sem instrumentos.





No que consistem os fluidos:



Apesar de os Espíritos terem dito que não é dado, neste mundo, conhecer o princípio das coisas (LE, Q. 17), asseveram (Q. 27) que formam a “trindade universal” (o princípio de tudo o que existe): o Criador e os dois elementos gerais do universo: o ESPÍRITO e a MATÉRIA. Mas, ao elemento material “se tem que juntar o FLUIDO UNIVERSAL, que desempenha o papel de intermediário entre o Espírito e a matéria propriamente dita, por demais grosseira para que o Espírito possa exercer ação sobre ela”.





D E U S (Criador)



ESPÍRITO MATÉRIA

(Princípio Inteligente) (Princípio Material)





Por algumas definições com caráter explicativos têm-se a exata noção do que são exatamente os fluidos:



*“Substância etérea, mais ou menos rarefeita, que se difunde pelos espaços interplanetários (...) nada mais é do que a substância primitiva onde residem as forças universais, donde a Natureza há tirado todas as coisas.” (GE, cap. VI, nº 17). Atenção: dentre “as coisas” não estão os Espíritos.



*“...é a matéria elementar primitiva, cujas modificações constituem a inumerável variedade de corpos da Natureza.” (Idem, Cap. XIV, nº 2).



Atente-se que os Espíritos recomendam que não se confunda o Fluido Universal com a Matéria propriamente dita: “Embora, de certo ponto de vista, seja lícito classificá-lo como elemento material, ele se distingue deste por propriedades especiais. Se o fluido universal fosse positivamente matéria, razão não haveria para que também o Espírito não o fosse. Está colocado entre o Espírito e a Matéria; É FLUIDO, COMO A MATÉRIA É MATÉRIA...” (LE, Q. 27).



(Qual “ponto de vista” a que aludem os Espíritos? – Sob o aspecto de que, por questão conceitual, por Matéria se entenderá o estado bruto dela, de ponderabilidade, já que a “matéria etérea e sutil que constitui o fluido universal é imponderável, mas, nem por isso, entretanto, deixa de ser o princípio da matéria pesada”, cf. Q. 29 do LE).



Das “inumeráveis combinações” do Fluido Universal com a Matéria (e sob a ação do Espírito) é que pode ser produzida “infinita variedade das coisas” que conhecemos. (Idem)



Esse fluido primitivo “é o princípio sem o qual a matéria estaria em perpétuo estado de divisão”, não se aglomeraria. (Idem)



ESTADOS DO F.C.U. (GE, cap. XIV, nºs 2 e 3): Como princípio elementar do Universo, ele assume DOIS estados distintos:



a) ETERIZAÇÃO ou IMPONDERABILIDADE

b) MATERIALIZAÇÃO ou PONDERABILIDADE



O primeiro pode ser considerado como o estado normal, primitivo.

O segundo, é consecutivo do primeiro.



Esses Estados dão lugar a FONÔMENOS ESPECIAIS:



a) No Mundo Invisível: fenômenos espirituais ou psíquicos que interessam ao Espiritismo;



b) No Mundo Visível: fenômenos materiais, da alçada da Ciência



PONTO INTERMÉDIO: é o de transformação do fluido em matéria tangível.







Resultado das Modificações do Fluido Universal:



Formam os elementos (corpos) da natureza: SÓLIDOS (também chamados de PASTOSOS), LÍQUIDOS e GASOSOS - corresponde ao estado de materialidade ou ponderabilidade, pertencentes ao mundo visível, provocando os fenômenos materiais.



O FLUIDO, por essa razão, é considerado já por setores da Ciência como Quarto Estado da Matéria, por se apresentar no estado de eterização, imponderabilidade, pertencente ao mundo invisível, provocando fenômenos espiríticos ou psíquicos.



Anotação: “Na revolução conceptual provocada por Einstein, entretanto, a teoria do fluido universal não foi afastada do campo científico, mas apenas colocada por ele entre parênteses, como problema pendente para soluções posteriores. Hoje a situação é inteiramente favorável ao Espiritismo. A Física Nuclear nos apresenta uma imagem fluídica do Universo, verdadeiro domínio dos fluidos. Eles se apresentam como formas de energia nos campos de força que estruturam o aparente vácuo dos espaços siderais, como elementos mantenedores da vida nos processos fisiológicos, como fluxos de partículas infinitesimais, dotados de assombroso poder e até mesmo como elementos constitutivos do tempo e do pensamento.” (J.Herculano Pires, Mediunidade, Vida e Comunicação, Cap. IV)





Agentes da Transformação dos Fluidos:



“Tratando da questão das leis e das forças que regem o Universo” (...) “Há um fluido etéreo que enche o espaço e penetra os corpos. Esse fluido é o éter ou matéria cósmica primitiva, geradora do mundo e dos seres. São-lhe inerentes as forças que presidiram às metamorfoses da matéria, as leis imutáveis e necessárias que regem o mundo. Essas múltiplas forças (...) são conhecidas na Terra sob os nomes de gravidade, coesão, afinidade, atração, magnetismo, eletricidade ativa. Os movimentos vibratórios do agente são conhecidos sob os nomes de som, calor, luz etc.” (GE, cap. VI, nº 10).



Suscetível de inúmeras combinações, das transformações do Fluido Universal resultam novos “subprodutos” das mais variadas aplicações na Natureza, p. ex., os Fluidos:



a) Magnético;

b) Elétrico animalizado;

c) Vital;

d) Perispirítico; etc.



Os três primeiros são variações um dos outros:



Fluido Magnético: “Fluido vital, eletricidade animalizada, que são modificações do fluido universal.” (Q. 427). “É a substância que mais se aproxima da matéria cósmica, ou elemento universal”(LM, nº 131); a força magnética é haurida do ser mesmo que dela se utiliza, não sendo intermediário de nenhuma outra potência estranha; essa força reside, sem dúvida, no homem (Idem, nº 176).



Fluido Elétrico animalizado: “Princípio vital é o que chamais fluido magnético, ou fluido elétrico animalizado” (LE, Q. 65)



Fluido Vital: é a força motriz dos corpos orgânicos (LE, nº 67); modificando a constituição molecular dos corpos inorgânicos (minerais), dá-lhe propriedades especiais, transformando-os em moléculas de matéria orgânica, ou seja, numa palavra, com “vida” (GE, Cap. X, nº 18).



Fluido Perispirítico: “Ele não é de si mesmo inteligente, pois que é matéria, mas serve de veículo ao pensamento, às sensações e percepções do Espírito”. (GE, Cap. II, nº 23). “Pela sua essência espiritual, o Espírito é um ser indefinido, abstrato, que não pode ter ação direta sobre a matéria, sendo-lhe indispensável um intermediário, que é o envoltório fluídico, o qual, de certo modo, faz parte integrante dele. É semimaterial esse envoltório, isto é, pertence à matéria pela sua origem e à espiritualidade pela sua natureza etérea. Como toda matéria, ele é extraído do fluido cósmico universal que, nessa circunstância, sofre uma modificação especial. (...) O fluido perispirítico constitui, pois, o traço de união entre o Espírito e a matéria.” (GE, Cap. XI, nº 17).

“Ele é para o Espírito o que o corpo é para o homem” (LM, nº 55) e “embora fluídico, o perispírito não deixa de ser uma espécie de matéria” (Idem, nº 57), já que “O Espírito precisa, pois, de matéria para atuar sobre a matéria” (Idem, nº 58). Em suma “é um dos mais importantes produtos do fluido cósmico; é uma condensação desse fluido em torno de um foco de inteligência ou alma.” (GE, Cap. XIV, nº 7).



Continuando no mesmo Cap. XIV da GE, itens 7/15):NO PERISPÍRITO, O FLUIDO CONSERVA SUA IMPONDERABILIDADE -- MAS, É MATÉRIA, EMBORA EM ESTADO DIFERENTE, pois tem origem no mesmo fluido condensado que a matéria tangível.



OS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS do PERISPÍRITO variam segundo os mundos: O ESPÍRITO retira esse envoltório dos fluidos ambientes do meio onde se encontra.



Sua NATUREZA está sempre em relação com o grau de adiantamento moral do Espírito  avança sempre moralmente.



Quando na TERRA, há sempre um certo atraso dos Espíritos; mesmo aqueles em missão...

...Há Espíritos com Perispírito tão grosseiro, que eles mesmos o confundem com o corpo carnal e permanecem na superfície da Terra, como se fossem encarnados.



Nos corpos carnais há sempre os mesmos elementos constitutivos; mas, o PERISPÍRITO não é idêntico em todos os Espíritos encarnados ou desencarnados: ESTE SE MODIFICA COM O PROGRESSO MORAL QUE REALIZA EM CADA ENCARNAÇÃO!





Atuação dos Espíritos sobre os Fluidos:



Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais através do PENSAMENTO e da VONTADE.



Só o seu pensar, produz o desejo: basta pensar em uma coisa, para que esta se “produza”.



Os pensamentos impregnam-se de MATÉRIA MENTAL, de partículas mentais, muitas vezes, pela forma inferior, vertidas em verdadeiras LARVAS MENTAIS.



Ver em “Obreiros da Vida Eterna” (Cap. X, Fogo Purificador; André Luiz, psicografia de F. C. Xavier) a atuação do Desintegrador Etérico: evita o aparecimento das tempestades magnéticas que surgem quando resíduos inferiores de matéria mental se amontoam excessivamente no Plano.



O pensamento emitido pode literalmente “materializar-se”, criando as FORMAS-PENSAMENTO, impressionando até mesmo o mundo físico: aqui ocorre o fenômeno da IDEOPLASTIA.



As formas-pensamentos positivas (salutares) são CRIADORAS.

As negativas (infectadas), são DESTRUIDORAS.



Um dos estados do Fluido Cósmico Universal é também chamado de FLUIDO ESPIRITUAL, que atua como atmosfera para os seres espirituais; é o elemento de onde eles tiram os materiais sobre que operam.



[Apesar de que Kardec afirma (GE, Cap. XIV, nº 5) que “Não é rigorosamente exata a qualificação de fluidos espirituais, pois que, em definitivo, eles são sempre matéria mais ou menos quintessenciada. De realmente espiritual, só a alma ou princípio inteligente. (...) Pode dizer-se que são a matéria do mundo espiritual, razão porque são chamados fluidos espirituais.”]



Entretanto, é onde ocorrem os fenômenos especiais - perceptíveis à visão e à audição do Espírito, mas que escapam aos sentidos carnais.





Afinal, cluem os Espíritos a informação: o FCU é o veículo do Pensamento (Como o Ar é do Som!)



Daí os Espíritos atuarem sobre os fluidos espirituais através do PENSAMENTO e da VONTADE, como os homens manipulam os gases: imprimem aos fluidos a direção, os aglomeram, combinam ou dispersam, organizam-nos em apareências ou formas, coloração, mudam-lhe as propriedades...



...é o LABORATÓRIO DA VIDA ESPIRITUAL!





{INTENCIONAL

Tal atuação pode ser {

{INCONSCIENTE



É, assim, que o Espírito promove a APARIÇÃO TANGÍVEL (conhecida vulgarmente como “materialização”) para um encarnado, com a mesma aparência de quando vivo  retrocede o pensamento à época em que estava vivo, dando ao perispírito instantaneamente as aparências desejadas.



Em resumo, o pensamento do espírito cria fluidicamente os objetos que deseja usar.



Assim como os fluidos são o veículo do pensamento, são levados até onde necessário = é a MENTAÇÃO (=quando estabelecida em fluxo contínuo, dá-se a chamada TELEMENTAÇÃO).



Explica-se, assim, o efeito das preces e das vibrações: as ondas não se confundem, do mesmo modo que as ondas sonoras e raios no ar permanecem sem misturas.



Repita-se: quando a onda mental é maléfica. produz as INFECÇÕES FLUÍDICAS, envolvendo o ambiente com suas FORMAS-PENSAMENTOS.



A moderna ciência -- em especial os Físicos Espíritas -- prefere a denominação de ENERGIA FUNDAMENTAL CÓSMICA.



Francisco Aranda Gabilan

fagabilan@uol.com.br





NOTA: NÃO É PERMITIDA A REPRODUÇÃO DESTE TRABALHO, senão citando a fonte e a autoria, VEZ QUE ELE FAZ PARTE DE LIVRO QUE ESTÁ SENDO EDITADO.

FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL Artigo



Fontes De Consulta





1. A GÊNESE - A. Kardec (Cap. XIV, de 1 a 21)

2. O CONSOLADOR - Emmanuel (Perg. nº 20)

3. MEDIUNIDADE - Herculano Pires (Cap. IV - Energia Mediúnica)

4. MECANISMOS DA MEDIUNIDADE - A. Luiz/Fco. C. Xaier e Waldo Vieira (Cap. III - Fótons e Fluido Cósmico

5. CURSO DE APRENDIZES DO EVANGELHO - FEESP (1º ano, 19ª Aula)

6. CURSO DE INICIAÇÃO AO ESPIRITISMO - Centro Esp. Allan Kardec/Campinas-SP (1º Fascículo - 9ª Aula)

7. LIVRO DOS MÉDIUNS - A. Kardec (Cap. IV, questão 74)

8. EVOLUÇÃO EM DOIS MUNDOS - A. Luiz (Caps. XV, XIII e I)

9. OBREIROS DA VIDA ETERNA - A. Luiz (Cap. X-Fogo Purificador)

10. MEDIUNIDADE, ESTUDOS E CURSOS - Terezinha de Oliveira (Cap. 9).

11. A CURA PELOS FLUIDOS, SEGUNDO O ESPIRITISMO – Carlos Toledo Rizzini.

12. DEUS, ESPÍRITO E MATÉRIA (Manuel de Oliveira Portasio Filho), especialmente capítulos Matéria e Ponto de Partida, pg. 63/65.

13. FLUIDOS E PASSES (Coleção Estudos e Cursos)- Therezinha de Oliveira.